PUBLICIDADE

VITAMINA C: Quais são os benefícios para a pele? (GUIA COMPLETO)

27 setembro 2019
A vitamina C (ácido ascórbico) é um ativo altamente proveitoso para os cuidados com a pele, não é à toa que está em tendência há algum tempo e se tornou um ativo popular de aplicação tópica. Um dos seus principais benefícios é o combate ao envelhecimento cutâneo, em decorrência de sua característica antioxidante que atua na inativação dos radicais livres e na promoção da síntese do colágeno. 

Este post tem como objetivo mostrar os principais benefícios da Vitamina C como ingrediente ativo e seus derivados usados em produtos cosméticos.

VITAMINA C: Quais são os benefícios para a pele? (GUIA COMPLETO)

Vitamina C e a nossa pele


A pele é composta de duas camadas: a camada externa da epiderme é altamente celular e fornece a função de barreira, e a camada dérmica interna garante resistência, elasticidade e fornece suporte nutricional à epiderme. 

A Vitamina C é a substância antioxidante mais abundante no organismo, mas que após a exposição aos raios UV os níveis desta na derme e principalmente na epiderme mostram-se reduzidos. 

Os seres humanos são um dos únicos mamíferos, juntamente com macacos e porquinhos-da-índia, que não conseguem sintetizar a vitamina C sozinhos, por esta razão ela deve ser obtida de fontes externas. 

No entanto, os níveis de ácido ascórbico acumulados na pele, quando aplicado topicamente, são superiores àqueles conseguidos através de sua ingestão com o consumo de frutas ou suplementação oral.

Os benefícios do uso tópico da Vitamina C em cuidados com a pele


É importante mencionar que, embora a Vitamina C possa ser entregue à camada epidérmica por aplicação tópica, a eficácia depende da formulação do creme ou soro usado na pele.


1. VITAMINA C COMO ANTIOXIDANTE


Você já ouviu falar em radicais livres? Trata-se de moléculas muito reativas e instáveis que provocam danos estruturais à pele - acontece por exposições à radiação solar, bem como poluição do ar, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, tabaco e má alimentação - resultando em rugas e manchas. 

A produção excessiva de radicais livres pode acelerar o envelhecimento precoce, mas a boa notícia é que no mercado de cosméticos existe produtos com substâncias ativas que ajudam a neutralizar a ação nociva dos radicais livres – e a vitamina C é uma dessas substâncias! 

A vitamina C atua de duas maneiras diferentes para combater os radicais livres: 

  1. Em primeiro lugar, a própria vitamina C é um potente antioxidante que pode neutralizar e remover radicais livres;
  2. E, em segundo lugar, age sinergicamente com a vitamina E. A vitamina E protege as membranas celulares dos efeitos destrutivos dos radicais livres, evitando que se formem novos radicais livres e se inicie uma reação em cadeia. Quando a vitamina E deixa de atuar e perde a sua atividade, iniciando o processo de oxidação, a vitamina C ajuda a regenerar e a recuperar a sua atividade antioxidante.

2. VITAMINA C COMO PROMOTORA DE COLÁGENO 


À medida que envelhecemos, ocorre a perda progressiva da elasticidade e diminuição da síntese do colágeno, que leva a rugas e outros sinais típicos de envelhecimento da pele. 

Estudos demonstraram que apesar da síntese do colágeno decair com a idade, a vitamina C tem capacidade de promover a síntese desta proteína independente da idade do paciente e sem afetar a síntese de outras proteínas não colágenas. Assim, o ácido ascórbico ajuda a nossa pele a parecer mais firme e macia e, em geral, mais jovem e saudável.


3. VITAMINA C E A PROTEÇÃO CONTRA OS RAIOS SOLARES


Por não absorver a luz na faixa UVA e UVB, a Vitamina C não pode ser considerada – e nem usada – como um protetor solar. No entanto, ela pode ser usada em conjunto com filtros solares para prevenir os danos causados pela radiação ultravioleta, graças a sua função antioxidante.


4. VITAMINA C COMO AGENTE CLAREADOR 


Uma pesquisa demonstrou que os derivados da vitamina C, incluindo o fosfato de ascorbil magnésio, inibem a produção de melanina, reduzindo o-quinonas e, assim, a melanina não pode ser formada por ação da tirosinase (enzima chave na produção de melanina).

Vitamina C e seus derivados em produtos cosméticos


O uso de vitamina C em produtos cosméticos é limitado por sua instabilidade química. Esta molécula, solúvel em água, é extremamente instável em soluções aquosas. Quando exposto à luz e/ou ao ar, o ácido ascórbico não apenas se torna inativo, como também oxida extremamente rápido.

Continua depois da publicidade


Para ser eficaz, a vitamina C depende muito do pH. Para poder penetrar em nossa pele, a formulação requer um pH de 3,5 ou inferior – o que pode ser irritante para algumas pessoas e exacerbar a acne! 

Além disso, a sua efetividade depende muito da formulação completa, do tipo de veículo do produto e da concentração do ativo.

Para solucionar este problema, foi feito um grande esforço no desenvolvimento de derivados do ácido ascórbico para fins de aplicação tópica. Tais derivados precisam garantir a estabilização da molécula contra a oxidação e superar o desafio significativo da penetração na pele. 

Vantagens dos derivados de Vitamina C:

  • não é tão sensível à luz e ao ar quanto o ácido ascórbico e, portanto, é muito mais estável;
  • menos irritante para a pele; e
  • não é dependente do pH.
A desvantagem é que eles são menos eficazes que o ácido ascórbico.

Alguns derivados:
  1. Palmitato de ascorbila
  2. Fosfato de ascorbil magnésio
  3. Ascorbil fosfato de sódio
1- Palmitato de ascorbila (PA): derivado lipossolúvel da vitamina C que não causa irritação. Por ser lipossolúvel, o PA é facilmente transportado para as células, atuando como antioxidante, sendo um removedor de radicais livres e um estimulador da síntese do colágeno. 

2- Fosfato de ascorbil magnésio (FAM): caracteriza-se por liberar vitamina C ao penetrar na epiderme, tornando-se capaz de realizar as funções desta. Este derivado é conhecido por remover radicais livres e estimular a síntese do colágeno, sendo que o mesmo apresenta boa estabilidade em relação ao pH acima de 5, à luz e ao calor. 

Estudos in vitro utilizando fibroblastos humanos mostraram que o FAM é equivalente a vitamina C em estimular a síntese do colágeno, bem como o crescimento celular dos fibroblastos. 

3- Ascorbil fosfato de sódio: ao contrário do ácido ascórbico, o Ascorbil fosfato de sódio não gosta de ambientes ácidos e requer um pH de cerca de 6-7. É um antioxidante que reduz o estresse oxidativo, neutralizando os radicais livres, diminuindo efetivamente o processo de envelhecimento e a formação de linhas finas e rugas. Quando bem formulado, tem a capacidade de penetrar na epiderme sem causar irritação.

Utilização de Vitamina C em produtos cosméticos


Em relação à utilização de vitamina C em produtos cosméticos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), determinou através do parecer técnico n°3, de 29 de junho de 2001 (atualizado em 28/06/2004):

1) que os produtos cosméticos contendo o ácido ascórbico e seus derivados, em todas as suas formas de apresentação, tenham sua eficácia e segurança devidamente comprovadas (irritabilidade dérmica primária e cumulativa), bem como sua estabilidade química dentro de limites compatíveis com as finalidades de uso, quando a eles atribuídos algum dos benefícios descritos no parágrafo 5.
2) que a utilização de Vitamina C e de seus derivados na formulação do produto, com a finalidade antioxidante (manutenção da estabilidade), não permita que a mesma seja realçada na rotulagem, à exceção da menção na composição, de maneira igual tanto na forma, quanto na dimensão de caracteres, aos demais constituintes da fórmula.
3) Para fins de registro, os produtos contendo ácido ascórbico e seus derivados serão classificados como Grau 2, exceto quando se enquadrarem na situação descrita no item 2.

CONCLUSÃO


Quando usada em concentrações e períodos adequados, a Vitamina C atua na pele inibindo a produção de melanina, estimulando a produção do colágeno e elastina, neutralizando e eliminando os radicais livres.

Referências:
• The Roles of Vitamin C in Skin Health
Vitamina C. Anais Brasileiros de Dermatologia, Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v78n3/16303.pdf
Vitamina C e seus derivados em produtos dermatológicos: aplicações e estabilidade. Caderno de Farmácia, Porto Alegre – RS, v.19, n. 2, 2003.

Tem dúvidas ou sugestões? Pode deixar nos comentários!

Compartilhe este post para ajudar na divulgação!

A ilustração usada neste post foi projetada por PngTree.com
Pegue mais dicas no Pinterest » Simples Bella
Me siga no Instagram » @simplesbellablog

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Os comentários são de responsabilidade de seus respectivos autores.
- Não são permitidos links que redirecionam diretamente para um post, vídeo ou sorteio.
- Seu comentário é muito importante para o andamento do blog e é um grande incentivo para mim, deixe sua opinião, dica, elogio, critica (com fundamento) ou sugestão.
- Apreciamos educação!
- Deixe a opção "Notifique-me" marcada para ser notificado(a) quando eu responder seu comentário!

© 2018 - Todos os direitos reservados Desenvolvido com amor, Lariz Santana