PUBLICIDADE

Ácido Mandélico: para que serve e como usar?

22 abril 2020

Não há dúvidas de que o ácido mandélico está em alta nos cuidados com a pele. Como um bom alfa-hidroxiácido (AHA), ele tem várias aplicações cosméticas, especialmente no clareamento de manchas e combate a espinhas. Grande parte de seu sucesso se deve ao fato de que ele é muito menos irritante do que outros alfa-hidroxiácidos, como o ácido glicólico, de modo que até mesmo peles sensíveis podem utilizá-lo.


Sobre o Ácido Mandélico:


O ácido mandélico é o AHA de maior peso molecular, o que lhe garante uma penetração lenta e uniforme, mas não tão profunda na epiderme — por isso ele é mais gentil que o ácido glicólico, AHA de menor peso molecular.


O que o Ácido Mandélico pode fazer na sua pele?


Entre os seus benefícios, podemos destacar:

1. TRATA ACNE: 


O ácido mandélico também tem atividade bactericida: age durante o processo infeccioso da acne e, além de combater as bactérias que formam esse processo (proprionibacterium acnes), evita a formação de novas e acelera a cicatrização do quadro existente.

2. MELHORA A TEXTURA DA PELE: 


Esse AHA normaliza o processo de queratinização, levando a um estrato córneo mais regular, fino e suave. Por outro lado, também tem a capacidade de atrair água e favorecer a sua entrada através da epiderme, reforçando a hidratação da pele.

↪ Veja também: 5 dicas para cuidar da pele seca

3. CLAREIA MANCHAS:


À medida que esfolia a pele, o ácido mandélico abre caminho para a pele mais nova, fazendo com que as manchas de espinhas e exposição solar desapareçam.

Além disso, esse ácido também age na inibição da síntese de melanina, bem como na melanina já depositada.

Explicação: a melanina é a proteína presente no corpo que dá coloração aos olhos, cabelos e principalmente à pele. A tirosinase é a enzima que forma a melanina e nos casos onde a produção de melanina não é inibida, aparecem manchas escuras.
Ao inibir a tirosinase, você interrompe a superprodução de melanina, permitindo que a pele volte à sua cor natural.

↪ Confira: Esfoliante antissinais com Ácido Glicólico

4. COMBATE OS SINAIS DE ENVELHECIMENTO:


A remoção das células mortas, que ocorre através da esfoliação, torna a camada córnea mais fina, consequentemente, as linhas de expressão ficam menos evidentes e a pele continua a se regenerar com o uso regular do ácido mandélico.

Ácido Mandélico: para que serve? Como usar?


Como usar o Ácido Mandélico na pele?


Existem duas maneiras de usá-lo na pele: primeiro, em um peeling químico de ácido mandélico com um profissional. Em segundo lugar, por meio de formulações tópicas para uso em casa, como cremes e géis!

Concentrações:

  • 30 a 50%: uso exclusivo médico;
  • Gel ou creme 10 a 13%: rugas e queratoses em geral;
  • Creme 4%: hidratante, esfoliante suave.

Quando e com que frequência o ácido mandélico deve ser aplicado?


Sempre siga as orientações do fabricante. Alguns produtos com ácido mandélico são formulados de maneira que você possa usá-los todos os dias. Outros exigirão menos frequência!

Se o produto contém mais de 10% de ácido mandélico, ele deve ser aplicado em dias alternados, sempre à noite, com a pele limpa.

Independente da porcentagem, durante o dia é fundamental o uso do protetor solar!

Quanto tempo leva para o ácido mandélico funcionar na pele?


Uma pele mais macia pode ser notada em poucos dias. Quando a rotatividade das células inicia, os efeitos do ácido começam a ser visíveis. Os resultados continuam se você for consistente nas aplicações e usar protetor solar todos os dias!

O ácido mandélico pode ser combinado com outros ingredientes?


Sim, o ácido mandélico pode ser combinado com outros ingredientes hidratantes e antioxidantes, inclusive é bastante utilizado em cremes rejuvenescedores com combinações de vitaminas C e E para tratamento de rugas finas, linhas de expressão, melhora da textura da pele e para clarear manchas. 


No entanto, não deve ser usado com outros alfa-hidroxiácidos, beta-hidroxiácidos ou retinóides, pois aumenta o risco de irritação!

Contraindicações do ácido mandélico:


O ácido mandélico é contraindicado para gestantes, lactantes, pessoas com sensibilidade ao ácido, lesões na pele, eritema solar, uso de cera depilatória, uso de isotretinoína, pele bronzeada, diabetes não controlada e herpes ativa. 

CONCLUSÃO:


Como foi visto, o ácido mandélico é ótimo para quem está tentando se livrar da acne, melhorar a textura da pele e acabar com as manchas. Ele pode transformar a sua pele, mas é essencial uma rotina consistente de cuidados!

Tem dúvidas ou sugestões? Pode deixar nos comentários!

Compartilhe este post para ajudar na divulgação!

Pegue mais dicas no Pinterest » Simples Bella
Me siga no Instagram » @simplesbellablog

2 comentários:

  1. Graças a Deus minhas acnes foram embora a quase um ano mas, no período que estava com a pele igual choquito, testei de tudo. Esse ácido é muito bom mas tem que ser prescrito por um profissional.
    Tem post novo no blog - adoraria sua visita!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa Nanda, que interessante! Tenho problemas com manchas de espinhas, to fazendo um tratamento caseiro que até tá dando resultados, mas seu artigo me deixou mais curiosa sobre o uso de ácidos para as manchinhas. Sempre tive interesse por esse tipo de tratamento, pois acho que deve ser mais rápido. Amei demais mesmo! Bjooo!

    http://www.admiravelfeminismo.com.br

    ResponderExcluir

- Os comentários são de responsabilidade de seus respectivos autores.
- Não são permitidos links que redirecionam diretamente para um post, vídeo ou sorteio.
- Seu comentário é muito importante para o andamento do blog e é um grande incentivo para mim, deixe sua opinião, dica, elogio, critica (com fundamento) ou sugestão.
- Apreciamos educação!
- Deixe a opção "Notifique-me" marcada para ser notificado(a) quando eu responder seu comentário!

© 2018 - Todos os direitos reservados Desenvolvido com amor, Lariz Santana